Estresse e exposição exagerada ao sol podem desencadear o vitiligo

Aos poucos, manchas brancas surgem na pele e começam a crescer. Não há dor ou coceira para dar pistas do que pode estar acontecendo. Ao procurar o médico, a pessoa descobre que está com vitiligo. Apesar de não ter cura, a doença não é contagiosa e não traz qualquer consequência além da mudança estética. Suas causas não são totalmente definidas, mas pesquisas recentes constataram que fatores emocionais podem desencadear o surgimento dela.

O vitiligo nada mais é do que a perda de células que produzem a melanina, proteína que dá cor à pele e aos pelos do corpo. Como as manchas têm intensidades e tamanhos diferentes, o tratamento varia em cada caso. Tanto o diagnóstico quanto o acompanhamento são feitos pelo dermatologista.

Alguns fatores podem estar ligados ao aparecimento da doença. O uso de produtos químicos e a exposição excessiva ao sol são alguns deles, assim como o estresse.

Para o presidente do Sinttrol, João Batista da Silva, dois fatores de risco devem despertar a atenção dos motoristas: a exposição ao sol e a tensão psicológica. “Por ter um trabalho externo, nossa categoria se expõe aos raios solares e sofre com o estresse das rodovias. Por isso, é importante que os trabalhadores fiquem atentos e, caso notem algo de diferente, procurem um médico de sua confiança”, orienta.

Fonte: Sinttrol

Post Relacionados