Pressionar motoristas para andarem rápido e cumprirem prazos é irresponsável e gera indenização

 “Seu Pedro, acelera aí”, “Anda mais rápido”, “Aproveita as retas”, “Não fica fazendo parada”, “Você precisa chegar logo”. Os motoristas profissionais de caminhão e de ônibus conhecem bem esse tipo de pressão que as empresas ou seus fiscais fazem.

Elas incentivam de forma irresponsável os trabalhadores a andarem com velocidade acima do permitido para chegarem depressa ao destino final, evitarem atrasos e realizarem outras viagens, gerando assim mais lucros aos patrões.

Além de correr na estrada, os motoristas também são pressionados para cumprirem horários praticamente impossíveis. Em alguns casos, gorjetas e bônus são oferecidos para estimular a prática perigosa.

Além de possíveis consequências desastrosas, o excesso de velocidade, incentivado pelas empresas, pode custar a vida do trabalhador e de outras pessoas, conforme veremos a seguir.

6 riscos de andar em alta velocidade

  1. A velocidade é o maior fator de risco para acidentes fatais, ou seja, no caso de acidentes, se a velocidade é menor, a chance de sobreviver também aumenta;
  2. O setor de transportes terrestres é extremamente perigoso, é campeão em número de acidentes e o segundo que mais afasta trabalhadores permanentemente, de acordo com o Ministério do Trabalho (MTb);
  3. Para cada pessoa que morre no trânsito, há aproximadamente outros dois acidentados com sequelas, ou seja, são de 80 mil a 90 mil pessoas por ano que terão uma lesão para o resto da vida;
  4. Traumas causados por ocorrências de trânsito ocupam 55% dos leitos hospitalares que atendem emergências;
  5. O excesso de velocidade aumenta o tempo de realizar a frenagem, eleva a probabilidade de o motorista perder o controle do veículo e diminui a capacidade dele de se antecipar a possíveis perigos;
  6. No caso de atropelamentos, a velocidade é um fator decisivo para a sobrevivência do pedestre.

Legislação protege trabalhador

O presidente do Sinttrol, João Batista da Silva, explica que as empresas não podem fazer esse tipo de cobrança. “É um absurdo pedir para alguém dirigir em alta velocidade. Esse tipo de comportamento já é reconhecido pela Justiça do Trabalho, que tem decidido a favor dos trabalhadores por dano moral”, destaca.

Caso você esteja recebendo cobranças e incentivos para pisar no acelerador e andar mais rápido, é recomendado procurar ajuda no sindicato para fazer uma denúncia.

Fonte: Sinttrol

Post Relacionados