Profissão de conforto? Trabalho em escritório revela que a situação não é bem assim

O trabalho aparenta ser simples e seguro. Sentado à mesa, muitos trabalhadores passam horas e mais horas em frente a uma tela de computador. O que muitas pessoas desconhecem é que os profissionais de escritório também apresentam problemas relacionados ao trabalho.

Além do estresse decorrente da profissão, a luz artificial do ambiente, bem como os tipos de cadeiras, são alguns dos fatores que comprometem a saúde dos trabalhadores. Pesquisas recentes, realizadas com os trabalhadores que atuam nesses ambientes, mostram que mais de 1/3 dos empregados apresentam algum tipo de complicação decorrente da atividade profissional.

O conforto dos escritórios também apresenta riscos. Ficar muito tempo sentado, por exemplo, é um dos principais problemas de quem fica no escritório. Como consequência, o trabalhador pode desenvolver dores ou distúrbios musculares, obesidade, diabetes, doenças cardíacas, câncer e, em alguns casos, pode até chegar à morte.

Manter a postura correta é um dos grandes desafios para quem passa muito tempo sentado. Apesar disso, é importante manter a coluna reta para evitar dores musculares.

Como o profissional dos escritórios passa muitas horas olhando para uma tela, a visão também pode ser danificada. Enxaquecas e dores de cabeça costumam ser comuns.

Como se sabe, a luz natural é sempre preferível à luz artificial. No entanto, como o pessoal do escritório não pode trabalhar ao ar livre, a indicação é que os trabalhadores fiquem atentos para que a tela não fique com reflexos de luz. Com o passar do tempo, a visão ficará cansada e o profissional poderá ser obrigado a usar óculos.                

Os trabalhadores dos escritórios também são atingidos pelas doenças ocupacionais

De forma silenciosa, as doenças ocupacionais aparecem e se tornam grandes vilãs. Algumas são traiçoeiras e costumam surgir somente após 10 ou 15 anos de trabalho. Porém o estrago que podem causar é tanto que, em muitos casos, o funcionário não tem mais condições de voltar a exercer a mesma atividade profissional.  

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Londrina (Sinttrol), João Batista da Silva, explica que é importante que as empresas invistam nas Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPAs), pois elas irão orientar quanto ao uso correto dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), bem como às doenças ocupacionais.

“Hoje, conhecemos as Lesões por Esforços Repetitivos (LERs) e as suas consequências. Elas geralmente são provocadas por movimentos repetitivos ou por posturas inadequadas. O ato de mexer no mouse por muito tempo ou passar longas horas escrevendo podem se tornar fatores causadores das LERs”, destaca.

A orientação é que, em caso de dúvidas, o trabalhador procure o Sindicato, que irá orientá-lo quanto aos direitos relacionados à saúde e segurança.

Fonte: Sinttrol

Post Relacionados