Sinttrol fiscaliza terminais de ônibus após denúncias

Em 15 de agosto teve início a fiscalização dos ônibus em Londrina, feita por 13 diretores do Sinttrol. A ação começou após denúncias feitas por trabalhadores sobre veículos que estariam operando sem cobradores, acarretando o acúmulo de funções aos motoristas.
Segundo o diretor do sindicato Rogério Pereira da Silva, foram feitas inspeções no Terminal Central de Londrina e nos terminais dos bairros. Em apenas dois dias foram parados seis ônibus irregulares das empresas Grande Londrina e Londrisul.
A diretoria do Sinttrol realizará essa averiguação com mais frequência, até que sejam sanadas as irregularidades. De acordo com Rogério, além das denúncias dos funcionários, os dirigentes da entidade que atuam na base também haviam relatado a situação.
Dupla função
Visando reduzir custos, muitas empresas de transporte coletivo vêm tentando acrescentar às atividades dos motoristas a função de cobrador. O acúmulo de funções ameaça o emprego dos cobradores, além da segurança de condutores e passageiros do transporte coletivo.
Em Londrina, a Lei Orgânica Municipal (LOM) 11.472/2012 estabelece que é obrigatório haver um motorista e um cobrador em todos os ônibus de transporte coletivo convencional urbano da cidade. Na época, a aprovação da lei evitou a demissão de centenas de cobradores das empresas de transporte.
O presidente do Sinttrol, João Batista da Silva, alerta os funcionários para que fiquem atentos às mudanças que algumas empresas tentam implementar. “A legislação municipal proíbe a dupla função no transporte coletivo e esta foi uma luta e uma vitória do sindicato e da categoria. O trabalhador que perceber esse tipo de prática deve procurar o Sinttrol e denunciar”, reforça.
Além da violação da LOM, cabe lembrar que caso o condutor também esteja exercendo a função de cobrador, mas sem alterações no contrato de trabalho após seu consentimento, ocorre violação do artigo 468 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).
Fonte: Sinttrol

Post Relacionados